Look from Within / Antipode Look from Within
Antipode - Exposição virtual
Jan 2006


Os Joalheiros Mi-Mi de Moscovo convidaram a PIN a apresentar trabalhos de joalheiros portugueses na sua galeria de arte virtual Antipode. Uma selecção desses trabalhos foi editada na revista russa Desillusionist.

http://www.antipode.ru/index.phtml?p=layout&d=2005.12

O que é interessante acerca da Joalharia Portuguesa Contemporânea?

As acções. As atitudes individuais. Os pensamentos. Os sentimentos. A necessidade de criar possibilidades de expressão pessoal através do material.

Ter a sensibilidade, a honestidade e a consciência da presença do corpo humano não é uma tarefa fácil. Todos nós sentimos essa dificuldade – especialmente quando decidimos ser honestos e responsáveis pelo que andamos a fazer aqui.

Criar um novo objecto num mundo de consumismo compulsivo é, definitivamente, um acto de responsabilidade e de profunda consciência. Especialmente quando estamos a falar de Joalharia – tão comummente encarada como um tema supérfluo… nos tempos que correm.

Mas em Portugal, tal como em qualquer parte do mundo, quando alguém decide criar um objecto que se relacione com o corpo, o significado e o propósito desta acção deve ser suportada por uma forte expressão e uma forte emoção.

Tenho sido tutora, desde alguns anos, de vários artistas joalheiros da nova geração (João Martins, Diana Silva, Ana Henriques…) sendo eu própria o resultado de uma aprendizagem de uma outra geração anterior, daqueles que começaram este movimento em Lisboa (Alexandra Serpa Pimentel, Tereza Seabra....). Estando nesta plataforma – olhando tanto para trás como para diante – acredito que cada um de nós aqui procura um meio de expressão, uma linguagem pessoal cujas restrições que dependem dos objectivos e dos propósitos de cada um.

A Joalharia pode ser moda, a Joalharia pode ser narrativa, a Joalharia pode ser conceptual, a Joalharia pode ser apenas acerca da Joalharia ela própria ou estar relacionada com todas as outras áreas de expressão, relativamente ao que se está a passar no mundo. Não tão diferente, como tal, das outras áreas de expressão…

Em 1978 o Ar.Co, uma escola de arte, privada, em Lisboa, inaugurou este caminho de mostrar que a Joalharia pode ser um modo de expressão visual e pessoal. Agora temos dois outras escolas, a ESAD, no Porto, e a Contacto Directo, em Lisboa. Também temos algumas galerias de Joalharia que trabalham arduamente no sentido de trazerem exemplos do estrangeiro e de estarem a promover a nossa própria produção.

Mais recentemente fundamos a PIN – uma nova e promissora associação para a Joalharia Contemporânea Portuguesa. O nosso primeiro evento foi organizar a X edição do Simpósio Internacional de Joalharia Ars Ornata Europeana – desta vez denominada Em Toda a Parte/Em Lugar Nenhum.

Durante a X  edição da Ars Ornata Europeana, Lisboa tornou-se no Aqui e Agora de cerca de 150 membros do mundo nómada de joalheiros contemporâneos, que se estenderam de ambos os lados da fronteira do Atlântico, através de toda a  Europa, da Ásia e da Africa, para os nossos antípodas. O que realmente teve lugar foi, de facto, um intenso pôr em comum de pessoas e ideias, num fórum para a troca de informação acerca do estado da arte em Joalharia, que tornará possível futuros contactos, programações e eventos.

O resultado deste evento foi igualmente uma projecção considerável do estado da arte em geral, e da Joalharia Contemporânea em particular, em Portugal.

Em Toda a Parte/Em Lugar Nenhum, serviu de tema para essa edição. Foi organizado um grande número de eventos – As maiores exposições foram Mais Perto no Museu Nacional de Arte Antiga e Habitação Nómada , no Centro Cultural de Belém, cerca de 23 intervenções da Joalharia in situ em lojas de muitos tipos, restaurantes e igrejas, concentrados na zona central da Baixa-Chiado. Realizou-se uma temporada de cinema na Cinemateca Portuguesa – Jóias no Cinema: maldições e bênçãos – e dois workshops no Ar.Co, Centro de Arte e Comunicação Visual. Os resultados foram mostrados na Galeria Tereza Seabra.

Três outros eventos aconteceram durante o Simpósio Jóias Recíprocas na Galeria Contacto Directo; Ossarium Rose no Museu de História Natural e Joalharia Sueca na Galeria Reverso.

O Simpósio foi organizado pela PIN – Associação de Joalharia Contemporânea Portuguesa, sendo o comité de organização composto por Cristina Filipe, Marília Maria Mira e Paula Paour, com a assistência de Alexandra Serpa Pimentel, Ana Marinho, Frederica Bastide Duarte e Manuela de Sousa.

Acredito, realmente, que a Joalharia Portuguesa pode estar em toda a parte e em lugar nenhum. Muitos de nós temos tentado obter mais conhecimentos fora de Portugal. E muitos de nós também fizemos exposições no estrangeiro. Mas a nossa demanda ainda não está Em Toda a Parte e nós esperamos, em breve, chegar a Moscovo… ficando mais perto, estando lá. 



Dossiê de Imprensa
"Portugal Contemporary Jewellery ", Antipode Presents, Mi-Mi, Desillusionist, n.2 1/06, Rússia.



LOCAL
Galeria Antipode
http://www.antipode.ru/

Joalheiros Mi-Mi
http://www.mi-mi.ru/

Revista Desillusionist
http://www.deiz.ru/

Tereza Seabra / Pompei
Tereza Seabra / Pompei / Necklace / Gold, coral, painted ivory by Antonio Marques / 2003
Cristina Filipe / Dream and belief
Cristina Filipe / Dream and belief / Rings / Gold and landscape ring / 1997-2003 / photo: C.B.Aragao and Cristina Filipe
Diana Silva / Veins, Hearts and organs
Diana Silva / Veins, Hearts and organs / Necklace / Copper
Rita Faustino / Necklaces
Rita Faustino / Necklaces / Cotton, wood / 2005

TPL_BEEZ5_ADDITIONAL_INFORMATION